Segunda-feira, 26 de Outubro de 2009

O Desenvolvimento Económico-Social e a Evolução do Conceito de Qualidade de Vida (I)

 

Ora viva. Estamos de volta. Directo à Questão.
 
Registou-se nas últimas décadas uma transformação profunda na sociedade Portuguesa. É inegável.
O declínio acentuado na agricultura, outrora o mais importante sector de actividade económica, é particularmente visível nas regiões que dela dependiam de modo exclusivo ou quase, situadas predominantemente no interior do país. O seu tecido social transformou-se radicalmente. Estas regiões perderam população que emigrou para o exterior, com um destaque particular para os países mais importantes da União Europeia, ou para as áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto e, em menor proporção, para outras regiões do litoral.
O envelhecimento da população que restou é outra realidade inquestionável.
Funções como a agricultura ou a indústria, o comércio ou os serviços encontram no tipo de aglomerado os argumentos para o seu estabelecimento, moldando e transformando a forma destes, estabelecendo relações de cooperação. São modos de ocupar o território, distintos nos seus conceitos e finalidades, que se complementam, sustentando a chamada “colonização” humana.
Contudo, como sabemos, o abandono dos campos, a deslocação dos mais novos para as cidades e até para o estrangeiro, deram origem a uma gradual desertificação das zonas rurais interiores, como atrás foi referido, e à inevitável degradação do parque habitacional, porque abandonado. Os “resistentes”, por força da idade, são idosos que, por circunstâncias várias, a que não será alheio o reduzido rendimento, são impotentes relativamente a esta questão.
É, por isso, também inegável, que mudaram as formas e contextos de vida. Mudaram as condições que estão na base da qualidade de vida das populações.
Na nossa próxima reflexão discutimos esta noção de qualidade de vida, conceito que sofreu profundas alterações ao longo do processo de desenvolvimento económico-social da humanidade, sobretudo nos países ditos desenvolvidos.
  
Até para a semana. Directo à Questão.
 
publicado por Ricardo às 10:10
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

.Julho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. A crise de Portugal vista...

. Como Joana Vasconcelos pu...

. Sobre o Impacto da Mexida...

. Sobre o Impacto da Mexida...

. Algumas Reflexões Sobre o...

. Algumas Reflexões Sobre o...

. Algumas Reflexões Sobre o...

. Os Cinco Anos Sobre a Abe...

. D. Pedro I – Entre a lend...

. A Criança com Epilepsia

.arquivos

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds