Quinta-feira, 29 de Outubro de 2009

O Desenvolvimento Económico-Social e a Evolução do Conceito de Qualidade de Vida (II)

 

Ora viva. Estamos de volta. Directo à Questão.
 
Na sequência da nossa última reflexão, discutimos hoje a noção de qualidade de vida, conceito que sofreu profundas alterações ao longo do processo de desenvolvimento económico-social da humanidade, sobretudo nos países ditos desenvolvidos.
A noção de qualidade de vida, como é definida actualmente pela Organização das Nações Unidas, procura, não só aferir os patamares atingidos de cidadania efectiva e de participação cívica, mas também as condições sociais existentes (designadamente condições de vida, oferta e acesso de bens e serviços) que permitem a sua manutenção ou florescimento, não esquecendo a actuação dos poderes públicos, da sociedade civil e da iniciativa privada, que, em conjunto, são co-responsáveis pelos desenvolvimentos sociais locais.
Esta noção de qualidade de vida alicerça-se nos conceitos de necessidade básica, oportunidades de ascensão social, auto-satisfação e auto-desenvolvimento. Nesta hierarquia de etapas, avança-se para a satisfação de uma necessidade determinada quando outras mais elementares já foram satisfeitas. Conforme o conceito de pirâmide das necessidades de Maslow, o nível das necessidades básicas (visto num âmbito alargado que, neste caso, inclui exigências próprias da modernidade) corresponde à base da pirâmide, terreno onde se garante a sobrevivência com dignidade e a criação de condições para passar à etapa seguinte.
Como sublinha Frances Stewart, bens e serviços como saúde, nutrição ou educação são características básicas das condições de vida que conseguirão muito provavelmente, enquanto necessidades humanas universais, um consenso alargado. Tais necessidades são geralmente consideradas prioritárias, porque da sua satisfação dependem as condições de desenvolvimento dos restantes aspectos da vida como, por exemplo, desfrutar da arte, da cultura ou do desporto.
Estamos, pois, perante um conceito intimamente relacionado com o processo de desenvolvimento económico-social. Ter qualidade de vida, definida como a satisfação de necessidades básicas, é cada vez mais ter acesso a condições de vida que contribuam para o desenvolvimento pessoal, social, económico e até mesmo cultural.
  
Até para a semana. Directo à Questão.
publicado por Ricardo às 14:22
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

.Julho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. A crise de Portugal vista...

. Como Joana Vasconcelos pu...

. Sobre o Impacto da Mexida...

. Sobre o Impacto da Mexida...

. Algumas Reflexões Sobre o...

. Algumas Reflexões Sobre o...

. Algumas Reflexões Sobre o...

. Os Cinco Anos Sobre a Abe...

. D. Pedro I – Entre a lend...

. A Criança com Epilepsia

.arquivos

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds