Quarta-feira, 15 de Outubro de 2008

Sertanense Football Club – Futebol Clube do Porto, SAD. Hoje sonhei…

 

Ora viva. Estamos de volta. Directo à Questão.
No último dia 23 de Setembro sonhava. Era mais uma solarenga manhã de Outono em terras de Celinda. Os ouvidos de quem passava focavam-se na pequena telefonia de bolso. O mais ferrenho adepto acompanhava segundo a segundo o sorteio que prometia. E não é que as bolas extraídas na Sede da Federação Portuguesa de Futebol voltavam a ditar festa da Taça na Sertã? Uma vez mais, o orgulho dos sertaginenses elevava-se ao seu máximo esplendor. Pela segunda vez no mesmo ano civil e pela segunda época futebolística consecutiva, o Sertanense, da modesta Série D da Terceira Divisão Nacional, recebe o todo-poderoso campeão nacional.
Fazem-se programas sobre as “ligas dos últimos”, que dão voz aos pequenos clubes e nos mostram o Portugal profundo como ele é. Clubes que um dia foram grandes. Clubes que sonham diariamente pelo seu momento de fama. Clubes da minha e da sua terra, uns melhor geridos que outros, uns com melhor saúde financeira que outros, um com mais adeptos que outros, uns com mais história que outros.
No meu sonho, o Sertanense era a prova de que é possível tornear o destino. Não temos sempre que sucumbir ao clássico fatalismo luso. Não podermos resignar-nos a um destino de pequenez. Nem todos têm que ser sempre últimos. Afinal, no tal Portugal profundo também há grandes clubes. Clubes que conseguem proporcionar aos seus adeptos dias épicos de emoção, sem se resignarem ao seu estatuto de pequenos.
No meu sonho, o Sertanense era simultaneamente fonte de inveja e de orgulho para as gentes da região. Inveja porque só um clube conseguira nos últimos anos trazer jogos grandes ao interior do país. Orgulho porque fora um clube capaz de representar toda uma região que gosta e sabe apreciar bom futebol. O clube da Sertã colocava o nosso humilde concelho no mapa do futebol nacional. O Sertanense mostrava que a boa gestão, o querer e a raça dentro do campo e alguma pontinha de sorte – afinal de contas o futebol não vive sem ela! – podem transformar o sonho em realidade.
Realidade? E se o meu sonho afinal não fosse um sonho?
Acordei. Afinal era real. Afinal é real!
O Sertanense volta a ser grande no próximo sábado. A Sertã volta a ser palco privilegiado de emoções. Ganha quem luta, dia após dia, dentro e fora de campo, do roupeiro ao massagista, por tornar reais sonhos como este. Ganham as gentes da região. Ganha a festa do futebol. Parabéns Sertanense! E – claro, é um chavão! – que ganhe o melhor! Eu não acredito em milagres!... Mas acredito nas pessoas! O Sertanense já provou vezes suficientes que é preciso acreditar. E que é possível vencer. Independentemente do resultado do próximo dia 18, o Sertanense já venceu. Porque não precisa de voltar a provar a sua capacidade organizativa. Porque é um exemplo de entrega e combatividade em campo. Porque sabe honrar a Sertã e tudo o que nos identifica como região. Neste momento, é impossível ficar indiferente a este clube, é impossível ser da Sertã e não ter orgulho no clube da terra, é impossível não ter uma costela do Sertanense.
Só falta mesmo marcar mais golos que o adversário no sábado. Mesmo que ele seja tão somente o fortíssimo Futebol Clube do Porto. Eu acredito. Força Sertanense!
Até para a semana. Directo à Questão.
publicado por Ricardo às 15:37
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Mudanças a 16 de Outubro de 2008 às 17:41
Interessante ;D
abraços!
De transportadora a 23 de Fevereiro de 2009 às 05:19
adoro futebol!

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

.Julho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. A crise de Portugal vista...

. Como Joana Vasconcelos pu...

. Sobre o Impacto da Mexida...

. Sobre o Impacto da Mexida...

. Algumas Reflexões Sobre o...

. Algumas Reflexões Sobre o...

. Algumas Reflexões Sobre o...

. Os Cinco Anos Sobre a Abe...

. D. Pedro I – Entre a lend...

. A Criança com Epilepsia

.arquivos

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds