Segunda-feira, 29 de Março de 2010

O 11 de Março na história recente: O dia que marcou o Mundo durante três ocasiões

 

Ora viva. Estamos de volta. Directo à Questão.

 

No último dia 11 de Março, quinta-feira, celebraram-se três importantes efemérides.

Em primeiro lugar, passam 25 anos sobre a eleição de Mikhail Gorbatchev para Secretário-Geral do Partido Comunista da União Soviética. Mikhail Gorbatchev foi o último secretário-geral do Comité Central do Partido Comunista da União Soviética de 1985 a 1991.

Em 1985, viaja até ao Reino Unido, onde se encontra com Margaret Thatcher. No seu governo, Gorbatchev tenta reformar o partido, que dava então mostras de decadência, ao apresentar o seu projecto que se resumia nas expressões glasnost ("transparência") e perestroika ("reestruturação") e que é apresentado no 27.º Congresso do Partido Comunista Soviético em Fevereiro de 1986.

Em 1986, Gorbatchov também teve de lidar com a explosão do reactor da Usina Nuclear de Chernobyl, localizada na Ucrânia, que provocou uma onda de radiação por toda a Europa. As suas tentativas de reforma conduziram ao final da Guerra Fria e, ainda que não tivesse esse objectivo, terminou com o poderio do Partido Comunista da União Soviética, levando, mesmo, à dissolução da União Soviética. Viria depois a “perestroika”, o desmoronamento do Muro de Berlim e um novo mapa-mundi. Nada voltaria a ser como dantes à escala mundial.

A nível nacional, também este ano no dia 11 de Março foi assinalada uma data redonda com influência no futuro dos portugueses. Passam 35 anos sobre o 11 de Março de 1975, primeiro passo para o Verão Quente que deixou Portugal à beira de uma guerra civil.

Portugal estava ao rubro em Março de 1975. A «Revolução dos Cravos» tinha acontecido em Abril do ano anterior, pondo fim a um regime autofágico, e o regresso da liberdade punha a direita e a esquerda em rota de colisão. Na manhã desse já longínquo dia, e por instigação do então general Spínola, pára-quedistas de Tancos atacam o Regimento de Artilharia de Lisboa, bem como o aeroporto.

Ao início da tarde, surgem os primeiros apelos à mobilização popular e levantam-se barricadas nas estradas. Os bancos não reabrem à tarde e há piquetes nos locais de trabalho. Põe-se mesmo a hipótese de entregar “armas ao povo”. O Comando Operacional do Continente, chefiado por Otelo Saraiva de Carvalho, desdobra-se em acções militares e consegue debelar a denominada «contra-revolução». O general Spínola, acompanhado pela mulher e 15 oficiais, foge para Espanha e depois escolhe o Brasil para o exílio.

No rescaldo dos acontecimentos, são anunciadas as nacionalizações da banca, dos seguros, das telecomunicações, dos cimentos e praticamente de todas as indústrias de média e grande dimensão. As prisões voltam a receber presos políticos sem culpa formada, apenas suspeitos de defenderem ideais contra-revolucionários. Nasce o chamado PREC (Processo Revolucionário em Curso) e está aberto o caminho para o Verão Quente de 1975. Um longo e agitado processo que só há-de terminar a 25 de Novembro, altura em que Portugal começa a regressar a uma via verdadeiramente democrática.

Mas falar de 11 de Março é sempre falar do atentado em Madrid que, em 2004, passam agora 6 anos, matou 192 pessoas e fez mais de 1500 feridos na capital espanhola. Eram 7.37 horas em Madrid quando começaram as primeiras explosões. Em poucos minutos rebentaram 10 engenhos explosivos nas estações de comboios de Atocha, Santa Eugénia e El Pozo.

Na altura, milhares de pessoas encontravam-se nos comboios ou aguardavam a chegada desse meio de transporte para se deslocarem para o emprego. Os atentados do 11 de Março colocaram a Europa na lista do terrorismo e relançaram o tema da segurança.

Muitas histórias para um dia marcante. 11 de Março, um dia que marcou o Mundo durante três ocasiões.

 

 

Até para a semana. Directo à Questão.

 

publicado por Ricardo às 18:20
link do post | favorito
Comentar:

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.

.mais sobre mim

.pesquisar

.Julho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. A crise de Portugal vista...

. Como Joana Vasconcelos pu...

. Sobre o Impacto da Mexida...

. Sobre o Impacto da Mexida...

. Algumas Reflexões Sobre o...

. Algumas Reflexões Sobre o...

. Algumas Reflexões Sobre o...

. Os Cinco Anos Sobre a Abe...

. D. Pedro I – Entre a lend...

. A Criança com Epilepsia

.arquivos

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds